Comentários


 

Pergunta

O que são as Leónidas?

Resposta

As Leónidas são uma "chuva de estrelas" que ocorre todos os anos em meados de Novembro. Apesar desta designação popular habitualmente usada, as estrelas não chovem do céu. Estas "estrelas cadentes" não são mais do que pedaços de grãos de poeira que, ao entrarem na nossa atmosfera, se incendeiam e se tornam visíveis devido à fricção exercida pela atmosfera terrestre. Por vezes, estes corpos atingem dimensões significativas, constituindo verdadeiros “calhaus” a viajar a alta velocidade e a entrar na nossa atmosfera. Estes corpos, designados por meteoros, desfazem-se, normalmente, nas camadas da atmosfera, criando os raios de luz habitualmente observados. Quando um destes corpos resiste a esta entrada e chega ao solo estamos, então, na presença de um meteorito.

Prevê-se que o pico das Leónidas ocorra, este ano [2001], na madrugada de 17 para 18 de Novembro, embora o máximo de intensidade esteja previsto para as primeiras horas do dia 18. Os observadores na Europa perderão este máximo, dada a luz do dia, mas os habitantes do continente americano poderão assistir a um espectáculo deslumbrante. Apesar de se prever que se perca o pico de intensidade na Europa, a boa notícia é que nessa noite praticamente não vai haver luar, tornando mais fácil as observações.

Um dos aspectos mais interessantes acerca das "chuvas de estrelas" é a sua imprevisibilidade. No momento em que os astrónomos pensam saber quase tudo sobre uma determinada "chuva de estrelas", eis que algo de novo acontece e surpreende a comunidade astronómica. A "chuva de meteoros" das Leónidas, que surge, todos os anos, por volta dos dias 16 - 18 de Novembro [2001], é uma das "chuvas" mais imprevisíveis de todas aquelas que temos oportunidade de presenciar ano após ano.

As Leónidas, tal como o seu nome indica, devem a sua designação à constelação do Leão, pois é desta região do céu que os meteoros (habitualmente designados por "estrelas cadentes") parecem surgir. Na realidade, estes meteoros provêm de uma faixa ténue de restos de poeiras deixadas, ao longo de séculos, pelo cometa 55P/Temple-Tuttle. Estes restos são deixados ao longo da órbita do cometa e, todos os anos, em Novembro, a Terra atravessa esta faixa de lixo cósmico ou passa muito próximo dela. As partículas de poeira, a maioria do tamanho de grãos de areia, ao entrarem na atmosfera terrestre, tornam-se incandescentes por efeito de fricção, dando origem a cerca de 100 ou mais rasgos de luz no céu nocturno, constituindo aquilo que popularmente é conhecido como uma "chuva de estrelas", neste caso as Leónidas. Na verdade, a única estrela envolvida neste tipo de fenómeno é o nosso Sol, que ao longo dos séculos vai vaporizando o material dos cometas que passam junto dele, formando assim as referidas faixas de poeira mais tarde atravessadas pela Terra.

Quando uma "chuva de estrelas" é extremamente intensa, esta é então designada como sendo uma "tempestade" de meteoros. As tempestades das Leónidas ocorrem, mais ou menos, de 33 em 33 anos, na altura em que a Terra atravessa uma região mais densa de detritos deixados mais junto ao cometa. Um exemplo destas tempestades ocorreu em 1966. Em 1999, antes do amanhecer do dia 18 de Novembro, assistiu-se a uma taxa de cerca de 2700 meteoros por hora.

Durante os últimos anos têm-se feito avanços significativos na previsão da actividade das Leónidas através de uma observação atenta e cuidada do fenómeno. No entanto ainda restam dúvidas em relação à forma como é que os cometas dispersam os grãos de poeira ao longo das suas órbitas e de que forma é que estes grãos se distribuem ao longo dos anos e séculos.