Comentários


 

Pergunta

Com uma costa óptima de falésias e boa em ondulação, porque não foi testado o sistema de sopro, para produção de energia?

Resposta

Mas o sistema "de sopro" foi e está a ser testado! Nos Açores, Ilha do Pico, existe inclusivamente uma Central Piloto em operação a fornecer electricidade para a ilha. O sistema consiste numa câmara invertida sobre a água, aberta de um dos lados para a entrada de ondulação. A subida/descida do nível da água dentro da câmara induzida pelas ondas comprime/descomprime o ar, o que acciona uma turbina (com válvulas e pás desenhadas para rectificar o fluxo de ar, de modo que está sempre em rotação) e por sua vez um gerador eléctrico.

No entanto deve ter-se consciência de que esta tecnologia está ainda em fases iniciais de desenvolvimento, pois enfrenta problemas relacionados com a corrosão (água do mar e peças metálicas em movimento não jogam bem...), resistência a tempestades, certos problemas de irregularidade e qualidade da energia eléctrica fornecida, etc.

Já agora note o elevado impacto ambiental que teriam estes sistemas se utilizados em larga escala conforme sugere "em falésias" (destruição de costa, ruído, impactos na flora e fauna marinhas, ...), pelo que o alvo destes sistemas em regime comercial seriam molhes, portos e outras estruturas de origem humana e não propriamente o ambiente natural.

Para mais informações e fotos sugerimos que contacte o Instituto Nacional de Engenharia e Tecnologia Industrial - Departamento de Energias Renováveis, www.ineti.pt, sec.der@ineti.pt, tel. 217127237, fax 217127195)